Este site, por enquanto, está proibido de utilizar nos títulos de seus posts sobre o candidato do vice-presidente da República na capital baiana o refrão da música “Acorda Amor“, de Julinho de Adelaide (1974), pseudônimo usado por Chico Buarque de Holanda para escapar da censura da ditadura militar.

Foi a decisão liminar no início da noite de sábado, dia 1/9, da juíza eleitoral Maria Fátima Monteiro Vilas Boas. “Chame Mário” é um dos slogans do candidato. Neste site, os títulos já foram substituídos por “Rosquinhas de milho!”.

No entanto, a juíza impôs derrota ao pedido do empresário e candidato a prefeito de Salvador, Mário de Mello Kertész, que representou em juízo contra este site solicitando a suspensão total da veiculação das matérias que vêm sendo aqui postadas sobre o período em que Kertész foi prefeito (1986-1988).

A série de matérias, inicialmente veiculadas no jornal A TARDE quando este escrevinhador foi repórter daquele diário, teve início em julho e prossegue até meados de setembro. Visa unicamente prestar um serviço à sociedade, rememorar episódios de gestão do dinheiro público que prejudicaram enormemente a municipalidade.

A decisão judicial é provisória. O julgamento do mérito ocorrerá nas próximas horas, depois de o advogoado deste escrevinhador apresentar defesa à juíza. Isso deve ocorrer até ao meio-dia desta quarta-feira, 5/9.

Clique aqui para ler a Notificação Eleitoral, a Representação kertista e a Decisão Liminar da juíza Vilas Boas.

Anúncios