DAR ES SALAAM – Milton Santos, geógafo brasileiro de renome internacional, viveu nesta cidade da costa oriental africana, banhada pelo índico, a partir de 1974, como expatriado pela ditadura militar do Brasil.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A Tanzania, então governada por Julius Nyerere (1922-1999), propugnador de um “socialismo africano” baseado no conceito swahili de ujamaa (depois adotado pelo hip hop), o acolheu e à sua esposa, Marie-Hélène. Por dois anos, período-limite de contratação de temporários, MS foi um dos dois professores “full-time” na Universidade de Dar es Salaam (UDSM). Distinção para poucos, de acordo com fontes entrevistadas.

As imagens acima – registros de pessoas e da cidade – foram feitas a partir de 31 de julho, quando aqui desembarcamos por oito dias para coleta de dados para a biografia autorizada de Milton Santos. Capes e, desde fevereiro 2012, Petrobras apoiam o projeto.

Na UDSM nos recebeu, já no dia 1º/8, o Prof. William Banyikwa, do qual MS foi superviser. Na sala do diretor do Departamento de Geografia, Prof. Philip Mwanukuzi, ele fez rasgados elogios àquele que chamou de seu “mentor”. Outros ex-colegas geógrafos de MS, como o então membro do staff universitário Paul Maro (em seu própiro gabinete, sentado atrás da mesa) fizeram questão de rememorar o período que o brasileiro ali trabalhou.

O Prof. Banyikwa funcionou como anfitrião durante a visita às instalações da UDSM. Apresentou-nos aos colegas cartógrafos Coster Mahuwi e Mathias Ngowi. Em giro pelo campus, antes do convite para almoço, levou-nos à residência do casal Santos enquanto ali viveram: a casa de nº 10 da rua Simba, travessa da UDSM Road, avenida principal da cidade universitária.

O apoio do embaixador do Brasil na Tanzania, Francisco Carlos Soares Luz, e sua equipe, que nos recepcionaram na mesma tarde do desembarque e fizeram todos os arranjos necessários, revelou-se fundamental para o trabalho na república tornada independente da Grã-Bretanha em 1961. Antes da segunda guerra tinha sido também colônia alemã e ainda domínio territorial sob influência árabe.

Fotos: Danila de Jesus, exceto a que ela aparece. (*karibu = bem-vindo, em swahili, língua nacional da Tanzania).

Anúncios