Trecho de Nossa Escravolândia, com lançamento neste 19 de novembro no Ceao

Trecho de Nossa Escravolândia, com lançamento neste 19 de novembro no Ceao

País que se define como república federativa democrática – e que está entre as sete maiores economias do mundo -, o Brasil, por suas elites de mando (em geral de ascendência europeia), está em guerra.

Não contra o terror, como agora na França ou nos Estados Unidos. O Brasil está e sempre esteve em guerra, física e espistemológica, contra o seu povo dos estratos sociais “de baixo”.

Povo negro, principalmente. Que compõe o melting pot da sociedade brasileira em situação de inferiorização, já que sua imagem remete aos mais de três séculos de escravidão africana, base da estrutura econômica do país.

Dizer isso é dizer o óbvio. E a obviedade é o que este escrevinhador tenta evitar na escrita do ensaio Nossa Escravolândia – Sociedade, Cultura e Volência: do pitoresco ao perverso.Paris attack

O livro, em formato de bolso com 144 páginas (São Paulo, Editora Terceira Margem, $ 30,00), é lançado nacionalmente em Salvador neste 19 de novembro, véspera do Dia Nacional da Consciência Negra.

No Centro de Estudos Afro-Orientais (Ceao) da UFBA, localizado no Largo Dois de Julho. Na mesa redonda em torno do livro, os escritores Aninha Franco e Aurélio Schommer debatem, ao lado do autor, o tema “É possivel ser intelectualmente livre na Escravolândia?”

Veja abaixo os assuntos que você vai encontrar dentro do livro, já à venda em livrarias.Sumario_Nossa escravolandia

Anúncios