Michel Temer (PMDB), Dilma Rousseff e Lula (PT): três metralhas pegados pela Operação Lava Jato

É A REDE GLOBO, a execrada – não pelos motivos sensatos, mas por preconceitos eleitorais partidarizados – Rede Globo, que está derrubando nas próximas horas mais uma estaca do projeto criminoso de poder que se aperfeiçoou em Brasília depois da eleição de Luiz Inácio Lula da Silva em 2002.

A ladainha ignorante e interesseira que desde 2005 – escândalo do Mensalão – inundou as redes sociais e os debates acadêmicos que por dever de ofício este escrevinhador se vê obrigado a participar, deve agora arrefecer.

Meus colegas das Faculdades de Comunicação e das Ciências Sociais daqui e de ultramar que doutrinam seus rebentos alunos a se voltarem contra toda espécie de imprensa autônoma, vomitando impropérios apopléticos contra a Globo, revista Veja, jornal Folha de S. Paulo e toda a forma de imprensa autônoma ao governo do PT e asseclas, neste momento estão borbulhando de alegria com as últimas revelações do jornal O Globo. [clique para ler]

A desonestidade intelectual não é acidente, mas estruturante do raciocínio tosco praticado e festejado na maior parte dos espaços de produção acadêmica de baixa intensidade, como o nosso.

Michel Temer, o presidente que chegou aí graças ao PT e é a herança que o petismo deixou para os brasileiros ao atraí-lo para a chapa de Dilma Rousseff em duas eleições consecutivas, foi atingido por um bólido.

Temer deve renunciar imediatamente ou o país, já mergulhado numa crise republicana sem precedentes, entra em metástase. Não há outra alternativa.

É a Operação Lava Jato, irresponsavelmente tão demonizada por essa gente “do bem” como uma ação anti-esquerdista do tal PIG.

Como fica agora a cara de pau dos coleguinhas jornalistas e doutores da Comunicação? Onde está o  tal “Partido da Imprensa Golpista (PIG)”, invenção dos propagandistas do lulopetismo?

O “PIG” nesse momento mostra-se ecumênico e contribui para derrubar Michel Temer e seu principal adversário nas eleições de 2014, Aécio Neves. Que também deve ser preso a mando do Supremo Tribunal Federal (STF), outra instituição atacada pelo PT.

Farinha do mesmo saco: senador Aécio Neves (PSDB), que ficou em segundo nas presidenciais de 2014, teve a irmã presa na data de hoje; afastado do mandato, o STF decide também por sua prisão nas próximas horas

É golpe?

Golpe é o que querem os abutres apeados do poder com o impeachment de Dilma ano passado – não somente o PT mas seus partidos vassalos e amplos setores de movimentos sociais, movimento estudantil, movimento negro, lgbts, dos sem-terra etc.

Já estão nas ruas exigindo imediata eleições diretas para a Presidência, o que não prevê  Constituição da República, de fato a responsável nos últimos quatro anos pelo funcionamento normal das instituições republicanas.

Ora, os que fazem pouco caso das regras ali previstas, utilizarão os benefícios que lhes dá o Estado Democrático de Direito para tentar golpeá-lo.

Devem ir às ruas se expressar e se manifestar de acordo com o que pensam, ainda que torpemente, para tentar corromper esse mesmo Estado Democrático de Direito, pelo qual têm desapreço ideológico.

Juiz Sergio Moro (dir). ouve os malabarismos retóricos do réu Lula da Silva em depoimento à Operação Lava Jato

Observemos seus métodos. Que se aproximam dos métodos dos que pedem a suspensão da normalidade democrática ao querer mais uma intervenção das Forças Armadas, outra vez mais, nessa convulsa quadra da história do país.

Deixemos Sergio Moro, o Ministério Público, a Polícia Federal e o Supremo trabalharem.

E extirpar os vermes que vêm, de forma sistêmica e pluripartidária – no último decênio sob o comando de Lula – corroendo a nação que a maioria dos brasileiros comuns exige.

 

 

Anúncios