Aspecto da área do Yacht Club, tendo lá ao fundo o que restou da antiga Vila Brandão

Aspecto da área do Yacht Club, tendo lá ao fundo o que restou da antiga Vila Brandão

DOMINGO, VÉSPERA do início do Verão no hemisfério Sul do planeta. Na comunidade chamada Vila Brandão o prefeito de Salvador, ao lado dos chefões do Yacht Club da Bahia, contrariam o ganhador do Nobel de Economia, Milton Friedman.

Centenas de espetinhos de churrasco de carne bovina e de frango, acompanhados de farofa e vinagrete, são servidos sem restrições de quantidade. O mesmo para latinhas de cerveja gelada, de refrigerantes, copinhos de água.

Milton Friedman, para quem There ain't no such thing as a free lunch, ou seja: Não existe almoço grátis

Milton Friedman, para quem “There ain’t no such thing as a free lunch”, ou seja: Não existe almoço grátis

Tudo de graça. Picolés, algodão doce, pipoca, crepe à vontade. Sem fila, sem tumulto, você pode repetir quantas vezes quiser e até levar para casa quanto quiser. ACM Neto, o prefeito, posa com aquele sorrizinho de gente boa para mil e uma fotos com moradores da vila.

A maior autoridade pública municipal eleita para cuidar da cidade está ali, com a namorada, para referendar uma suposta boa ação do grande empreendimento soteropolitano ultraprivado denominado Yacht Club da Bahia.

Que, em aliança com o padre da paróquia da Igreja da Vitória, resolveu entregar à antiga vila de pescadores uma quadra esportiva – um campinho e alguns equipamentos de lazer para crianças. Tudo por iniciativa própria e também de graça.

O prefeito que ri

O prefeito que ri

O Yacht parece querer investir na adesão da comunidade de 300 famílias, dependuradas em um trecho nas encostas do filet mignon entre a Vitória e o Porto da Barra, defronte ao mar da baía de Todos os Santos.

Comunidade com que está em conflito há dezenas de anos devido à titularidade da ocupação daquele imobiliariamente cobiçado terreno. Clique para ler a carta aberta da comunidade a ACM Neto. E aqui para saber mais do conflito.

Toda a fanfarra armada pelos poderosos, porém, foi insuficiente para conquistar a todos. Este escrevinhador testemunhou.

A adesão ao almoço de graça foi baixa, comparando a situação de crise econômica que atinge principalmente os de baixo.

Muitos moradores – dissidentes da associação que diz representá-los – assistiram a palhaçada (sim, havia palhaços profissionais) de longe.

Enquanto prefeito e os donos do Yacht que se afirmam donos da Vila Brandão, saiam de volta ao clube, bem-aventurados com a bênção do pároco.

 

Anúncios